Faça sempre a lição de casa

Por Grazi Araujo

As redes sociais vieram para somar, é fato. Os prós e contras são rotineiramente estampados em notícias e sentidos na pele por cada um de nós. Se usadas com moderação, justificam o tamanho que alcançaram e os recordes que colecionam. Para o marketing, é uma ferramenta e tanto. Com a facilidade do manuseio, do acesso e do baixo custo, muita gente por aí está agregando valor à sua marca, conversando com seu público e brincando um pouco de fazer comunicação. Não vejo mal nenhum nisso, mas uma situação recente me inspirou para a reflexão desta semana.

Dia desses estava tomando um chope em um barzinho que recém mudou de direção. O novo dono, que durante alguns bons anos era o gerente da casa, estava de celular em punho fazendo um monte de stories. Ele filmava o movimento, as comidinhas, o chope, o ambiente. Chamava os clientes, interagia mesmo, numa linguagem bem leve e simples. Fazia a propaganda do negócio dele, sem papas na língua. Esava bonito de ver a dedicação.

Enquanto as publicações rolavam, fui ao toalete. Chegando lá, não tinha papel higiênico (mulheres sabem se virar em momentos assim e o papel toalha substitui o rolo, sem grandes problemas). O sabonete estava no finalzinho, mas ainda consegui lavar as mãos para seguir no happy hour. Então o "bichinho da comunicação" me mordeu naquele momento e lembrei os conselhos que já dei para muitos clientes e parceiros: antes de ir para a "mídia", precisamos estar com a "casa arrumada". O básico não pode ser esquecido, precisa ser hábito. Primeiro temos que agradar quem está conosco para então depois conquistar novos clientes. Garçom ok? Ok. Cardápio ok? Ok. Limpeza? Banheiro? Rá, conquiste um cliente pelo banheiro e você ganha fidelidade. Não dá pra faltar papel nem sabonete em banheiro, mesmo se for no masculino (é pior, porque eles não sabem os truques como nós).

Pode parecer uma grande bobagem, pode ter sido o intervalo de alguns poucos minutos ou pode ter sido um descuido. Cuidar da imagem da marca passa por detalhes assim. Meu chope, meus petiscos e o momento de lazer não foram diretamente influenciados por isso, vou seguir indo lá. É coisa de maluco se inspirar com a ausência de um papel higiênico e de um sabonete, mas é apenas um exemplo do quanto pequenas coisas precisam da devida atenção para deixar a comunicação verdadeira.

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM, e com MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada, pela Cândido Mendes. Atualmente é chefe de Comunicação Social na Casa Civil do Rio Grande do Sul. Também responde pela Comunicação Social da Sociedade de Cardiologia do RS (Socergs) e da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV). Tem o site www.graziaraujo.com.

Comments