Gestão da RDC TV comemora números dos primeiros dois meses no ar

Direção da emissora apresenta relatório com acesso do público nas redes sociais

Gestão da RDC TV celebra primeiros dois meses no ar - Reprodução

Com dois meses e meio no ar, desde sua estreia, a gestão da RDC TV comemora os números alcançados no site e nas redes sociais. Em um relatório que compara os meses de julho e agosto, a emissora mostra que o site teve uma média mensal de mais de 20 mil visitas, sendo 21.271 no primeiro mês e 22.020 no segundo. Destes, 10.443 acessaram a página na internet e 10.464 entraram para acompanhar as atrações que são transmitidas ao vivo pelo portal.

No Facebook, desde que entrou no ar, a página chegou a 9.762 acessos, em agosto, com 8.480 curtidas. "Foi um crescimento rápido de maneira orgânica e entendemos que ainda estamos na jornada da descoberta", sentenciou o diretor da empresa, Márcio Irion, ao mencionar, ainda, que, em média, são três mil visualizações por programa e, ao vivo, chega a 100 pessoas assistindo. "Mas, às vezes, passamos dos 200, especialmente nas atrações esportivas que tratam sobre futebol", falou.

A presença no Youtube também é celebrada pela diretoria. Em 31 de julho, eram contabilizadas 438 inscrições no canal, número que subiu para 849 em 31 de agosto. "Conseguimos arredondar nossa estrutura de upload na segunda quinzena do mês passado. Com isso, estamos praticamente chegando ao nosso objetivo de subir programas editados sem intervalo em menos de 24h, que é a linguagem on demand", explicou Irion.

Outra conquista é o alcance de público nos 26 estados do País e no Distrito Federal, em mais de 544 cidades, conforme verificado no Google Analytics. Ainda, pessoas acessaram o conteúdo da RDC TV em mais de 20 países: Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Bulgária, Canadá, Costa Rica, Estados Unidos, Filipinas, Grécia, Hungria, Índia, Itália, Japão, Paraguai, Peru, Portugal, Reino Unido, Romênia, Suíça e Uruguai. Segundo Irion, "miramos o Rio Grande do Sul e estamos acertando o Brasil e o mundo".

Comments