Como você se comporta no supermercado?

Por Elis Radmann

Fazer compras no supermercado é uma jornada comum à maioria da população. Mas o que parece ser tão igual, necessariamente, não o é!

Cada decisor de compra tem um tipo de comportamento quando vai ao supermercado e este comportamento não está associado apenas ao orçamento, à capacidade econômica de cada família. Além da questão financeira, há diferenças relacionadas às características, à cultura alimentar e à rotina de compromissos de cada decisor.

Há, pelo menos, sete tipos de consumidores:

O consumidor prático - É o consumidor que não tem muito tempo e precisa otimizar suas compras. Procura o supermercado em que possa realizar a compra com agilidade. Este consumidor leva em consideração o espaço entre as gôndolas, a sinalização dos corredores, a manutenção dos produtos em seus locais de costume e até mesmo a agilidade das filas.

O consumidor racional - É aquele que faz a lista de compras em casa e compra o que está na lista, o que realmente precisa. Este consumidor escolhe o supermercado que tenha o mix mais variado de opções, com preço justo e localização próxima.

O consumidor pechincheiro - É o típico consumidor de folhetos e promoções. Pega os encartes de supermercado e compara produtos X preços. Este consumidor pode mesclar suas compras em diferentes locais e calcula a economia de cada compra. A comparação de preços é realizada pelos que tem poucos recursos, mas também pelos que não gostam de 'jogar dinheiro fora'.

O consumidor desligado - É aquele que sabe que há várias coisas faltando em sua casa, mas como não planejou as compras acaba levando produtos que não precisava e deixando de levar o que precisava.

O consumidor de vizinhança - É aquele consumidor que reside perto de um supermercado e acaba realizando compras muito frequentes, pegando o que precisa para o dia. Este consumidor estabelece uma relação de amizade com os funcionários e a ida ao supermercado se torna parte do lazer cotidiano. Trata-se de um consumidor que tem uma agenda mais tranquila, sem uma rotina de trabalho.

O consumidor consciente - Este consumidor tem uma visão holística sobre a compra. Avalia desde o posicionamento do supermercado em termos de política de gestão de pessoas até as principais marcas de produtos comercializadas. É o consumidor valoriza marcas com responsabilidade social e, especialmente, produtos locais.

O consumidor regrado - É aquele decisor de compra que prioriza uma alimentação saudável para sua família ou tem familiares com restrição alimentar (como alergia a lactose ou glúten). Para este consumidor, é importante que o supermercado tenha um mix variado de produtos naturais, orgânicos e alternativos.

O volume de compra de cada tipo de consumidor está diretamente associado ao preparo do alimento. Quanto maior for a prática de preparar os alimentos em casa, maior será o consumo de produtos de supermercado. Famílias que almoçam fora ou se alimentam com lanches rápidos mantém um ticket médio de compra menor do que as que preparam em casa.

O consumo de produtos de limpeza varia de acordo com o tamanho do imóvel, composição familiar e a frequência de limpeza (que está associada ao hábito, a cultura de cada família).

Neste debate, a estabilidade maior é dos produtos de higiene e beleza. Neste caso, o consumo varia mais pelo poder aquisitivo. Quanto maior a renda familiar, maior o acesso a produtos de higiene e beleza.

Cada consumidor tem um estilo, você já pensou no seu?

Autor
Elis Radmann é cientista social e política. Fundou o IPO - Instituto Pesquisas de Opinião em 1996. Utilizando a ciência como vocação e formação, se tornou uma especialista em comportamento da sociedade. Socióloga (MTb 721), obteve o Bacharel em Ciências Sociais na UFPel e tem especialização em Ciência Política pela mesma universidade. Mestre em Ciência Política pela UFRGS e professora universitária, Elis é diretora e Conselheira da Associação Brasileira de Pesquisadores de Mercado, Opinião e Mídia (ASBPM) www.asbpm.org.br

Comentários