Millenials e seniores

Por Flavio Paiva

Diversas empresas ao redor do mundo já têm a prática instituída de colocarem millenials como coaches de executivos seniores. Seja porque a pessoa ficou um período afastada da empresa, seja porque há um gap entre ambos. Os resultados têm sido animadores, desde que ambos (millenials e seniores) estejam realmente engajados no processo.

A maneira de pensar e agir, a tecnologia, as visões dos millenials são diferentes das de executivos seniores. E vice-versa. Há um espaço não preenchido entre ambos, que aos poucos começa a ser preenchido e com êxito.

Mais de uma vez citei nesta coluna que a grande riqueza das organizações é justamente mesclar a experiência dos seniores e o gás e novidades dos millenials. Não é tema exatamente novo por aqui. Em todas as faixas da vida, temos a ensinar e aprender. No caso de organizações, até porque ambos estão agora convivendo com o mesmo propósito, isto se torna vital e imprescindível.

Houve um momento inicial (que ainda se estende para um grupo de pessoas) que entenderam quem dominava tecnologia e até se vestia de forma diferente eram os donos do pedaço. Em parte, isto até é verdade. Porém, uma organização precisa dos "putas velhas" para diversos momentos. Em um primeiro momento, eventualmente até para a injeção de capital e uma visão mais em perspectiva. Sim, dirão alguns, as perspectivas mudaram, são dinâmicas. Mas há coisas que não mudaram, quando a experiência conta - e muito.

Portanto, esta experiência (que, em verdade, não é mais experiência, é prática) de interação e integração entre millenials e seniores é altamente produtiva e benéfica, para profissionais e organizações. O caldo resultante dela é riquíssimo, pois se os seniores se atualizam da maneira de pensar e tecnologias, igualmente os millenials conseguem compreender como funcionam os seniores e até mesmo (o que não é nada raro) que seus superiores os ouvem e muito, e quais os desafios que enfrentam. É uma relação ganha-ganha.

Não sei quem foi o criador da ideia, mas muitos aplausos para ele. Experiências de integração, genericamente falando, são sempre ricas (com exceções, claro). Quando nos encastelamos (mesmo sem dar-nos conta), perdemos a enorme riqueza do mundo, que cresceu sempre com a mistura de experiências e adversidades. Este desafio está sendo superado. Só temos a ganhar.

GUION - 24 ANOS

Simplesmente o Guion está completando 24 anos! É incrível a sua trajetória e principalmente suas realizações, com milhares de espectadores e filmes, que afetaram a maneira de pensar, a visão de mundo, as reflexões de todos. E, por que não, os rumos da sociedade! Parabéns Guion! Parabéns Aiko e Carlos Schmidt!

PROGRAMAÇÃO:

ESTREIAS NACIONAIS

CYRANO MON AMOUR (Comédia-Drama, França-Bélgica, direção de Alexis Michalik, 112min)

EU NÃO SOU UMA BRUXA (Drama, Reino Unido - França - Zâmbia, direção de Rungano Nyoni, 93min)

EM CARTAZ

Seguem os fantásticos Dor e Glória, Rocketman, Espírito Jovem e Memórias da Dor.

Vá assistir a estes grandes filmes e cumprimentar Aiko e Carlos Schmidt por mais de 40 anos dedicados à sétima arte! Não perca!

Comments