O grande ecossistema

Por Flavio Paiva

Desde o início da vida na Terra, pequenas espécies de vida passaram a interagir umas com as outras e com o meio ambiente (ou este interferindo decisivamente). Portanto, seja na Terra ou no espaço, na vida das pessoas ou dos morcegos, tudo o que fazemos tem impacto e consequência no meio ambiente e na vida dos demais.

Relativamente recentemente foi criada a noção de ecossistema (nos negócios e sociedade), que retrata exatamente isto: o que A faz interfere na vida de B, C, D,..., na comunidade, no meio ambiente, nas galáxias ampliando um pouco mais a visão.

Assim, é imperativo que esta verdadeira onda de consciência que vem acontecendo de um tempo para cá realmente se imponha. Que a consciência, que em uma parcela muito grande da sociedade esteve adormecida (ou escondida, dependendo do caso) por séculos e décadas, seja despertada e, mais do que isto, exercida. Mudamos de estágio e, neste caso, subimos de nível.

Não importa muito aqui se foi por absoluta necessidade (degradação do meio ambiente e fim dos tempos de vida na Terra próximo), por medo ou desespero mesmo. Ou se foi por um amadurecimento que, afinal de contas, é nossa missão por aqui: evolução. Não podemos passar a vida e terminá-la exatamente iguais. Temos que ter evoluído, por pouco que seja.

O cenário é de um grande ecossistema com seres humanos cada vez mais tomando consciência (ok, há muita gente inconsciente ou desprezando esta necessidade) de que o que faço num canto do mundo impactará o que o outro ser humano, lá naquela ponta, receberá, de bom ou ruim.

Já li bastante sobre o tema e há por alguns a defesa de que o início desta visão foi a globalização trazida pela internet nos negócios. Outros defendem, como disse anteriormente, que foi a degradação que se impôs e assustou. E, por fim, há os que defendem um amadurecimento da sociedade. Repito: não importa tanto aqui (ao menos neste espaço da coluna, pois demandaria uma discussão bem mais ampla) qual destas causas (ou o conjunto dela, pois questões complexas têm respostas complexas e múltiplas causas, na maioria) foi a principal. O que é importa é a mudança em curso.

Como cidadão, me sinto bem mais confortável e até feliz em um mundo "novo", criado pela nova postura. Parte dela (postura) vai trazer lucros? Sem problema algum, desde que seja genuína. Não sou purista. E entendo que o ser humano é, em sua consciência ou inconsciência, o animal mais complexo que conheci. Me incluo.

Comments