Viradas no tempo

Por Flavio Paiva

Está anunciada para hoje uma virada no tempo (clima) de Porto Alegre: fará um grande calor à tarde, virá uma chuva e, então, um frio polar. Bem, e daí, perguntarão alguns. E daí que há tantas e tantas viradas de tempo, de humor, de condições de negócios na nossa vida que pode ser útil e até necessário observarmos a natureza para reaprender a pensar nas fases da vida.

O andamento tecnológico, a inovação, a velocidade feroz com que temos que nos manter atualizados acaba nos gerando uma impressão que para certas coisas não se aplica. Porque em certas situações, é preciso arar a terra, plantar as sementes (seed), esperá-las brotar ou não para depois colher.

Mas, então, nos deparamos com certos processos de negócios que requerem paciência, jogo de cintura e - ativo muito raro hoje em dia - tempo. Não estou afirmando que devemos ter um timing mais lento para os negócios em geral. Eles realmente estão muito rápidos, a linguagem, o comportamento e o fechamento dos negócios, dos processos de inovação.

Porém, certas coisas não se aceleram. Quedas na vida profissional são inevitáveis, para citar um exemplo. As viradas de que falei anteriormente, que de um clima e condições, passamos a outra, bem mais adversa. É preciso (com o perdão da palavra antiga) têmpera para enfrentar os dissabores, as condições adversas, as desilusões. Outro dia, vi uma palestra em que o orador falou em desertos pelos quais todos temos que passar. Não são fáceis de superar? Claro que não. Mas quem já viu canais de TV com programas sobre natureza constatou que há uma infinidade de seres vivos (animais e vegetais) que vivem nos desertos.

A questão fundamental é: adaptação. No caso destes organismos, foram necessários milhares (eventualmente milhões) de anos para chegarem à forma bem-sucedida. Não temos este tempo. Nem queremos levar milhares ou milhões de anos para atingir um objetivo de sucesso. É uma parábola. Por isto, a adaptabilidade é tão necessária para o êxito.

E, fechando o raciocínio, estes organismos adaptados (em especial os animais) no deserto são muito, muito velozes, para garantirem a sobrevivência. Assim está nosso futuro. Embora não estejamos atravessando um deserto (alguns de vocês podem estar) no mundo dos negócios, é preciso adaptação para enfrentar condições adversas que podem vir em viradas da própria vida profissional ou do ambiente de negócios em geral.

Desta forma, não nos assustemos com temporais, quedas na temperatura dos negócios, calores extremos. Mantenhamos o foco, a adaptabilidade (como já disse), a informação e um forte network.

Comments