Folha de Caxias encerra atividades e dá fim à edição impressa do jornal

Atualizações seguirão sendo feitas diariamente na página online e pelo aplicativo Leia Fácil

Folha de Caxias deixou de circular no último dia 11 - Reprodução

A última edição impressa do Jornal Folha de Caxias circulou no dia 11 de outubro. Fundado em 13 de abril de 2012, foram 1886 edições e, agora, as atualizações diárias serão feitas via página online e aplicativo. As notícias da Serra Gaúcha, especialmente de política e economia, serão divulgadas no portal www.leiafacil.com.br e no app de mesmo nome.

Em nota oficial, o fundador do impresso, Cláudio Scherer, escreveu que não tem nada a lamentar, pelo contrário. "Foram anos felizes de muitas conquistas e ajuda mútua com a sociedade caxiense e da região. E, fundamentalmente, porque fizemos o que gostamos e pudemos de fato melhorar a vida de muita gente. Não nos furtamos de nenhuma das nossas obrigações e sempre estivemos prontos para fazer mais do que a nossa obrigação", registrou.

Scherer também lembrou dois fatos que considera relevantes, no que tange à atuação do jornal em prol da sociedade em que atuava. Um deles ocorreu em 18 de julho de 2012, quando a Câmara de Vereadores de Caxias do Sul fez nova licitação para as publicações dos seus editais. "Foi nossa primeira participação. O Jornal Pioneiro iniciou com o valor de R$ 67,63 e no leilão chegou a R$ 0,75 por centímetro coluna. Vencemos por R$ 0,74, não que fosse lucrativo, mas ali era o nosso primeiro passo para que o mercado soubesse da nossa legalidade e capacidade", relembrou, mencionando que, depois, venceram as licitações no Instituto de Previdência e Assistência Municipal (Ipam), na Fundação de Assistência Social (FAS) e na prefeitura.                                                                          

Outro fato que o fundador comentou foi em 2013, quando a Superintendência da Caixa Federal oficiou ao 1º Registro de Imóveis de Caxias do Sul a Olyntho Mendes de Castilhos, solicitando que seus editais de intimação fossem publicados no jornal Folha de Caxias em razão do custo. "Era, aproximadamente, um terço do que vinha sendo pago ao Pioneiro, o que onerava sobremaneira os custos para com os fiduciantes, muitas vezes dobrando o valor em aberto e inviabilizando o acordo."

Ainda em nota, Scherer escreveu que, aos poucos, o impresso foi conquistando a confiança do mercado, ao ponto de que "atualmente, a maior parte da demanda de publicações legais e obrigatórias, de grandes companhias, como Randon, Marcopolo, Grendene, Pettenati, entre outras, era atendida pela Folha, com custos bem inferiores aos praticados anteriormente".

Ele ainda registrou que, com a entrada em vigor da MP 892, que desobriga as publicações legais por parte das empresas de capital aberto, nesta segunda-feira, 14, ele entende oportuno investir no digital e encerrar as impressões em meio papel. "Assim, convidamos a todos a seguir conosco e, se a MP em questão cair, seguiremos ao lado de nossos parceiros. Estamos sempre em pé e às ordens! Muito obrigado a todos até aqui!", encerrou, agradecendo ao público.

Comments