Projeto Comprova produz a primeira checagem da nova fase

Conteúdo faz referência à afirmação de Paulo Guedes, ministro da Economia

Comprova inicia trabalhos na segunda fase - Crédito: Reprodução

Nesta semana, o Projeto Comprova iniciou sua nova fase. A iniciativa reúne novamente 24 veículos em nome do interesse público: analisar e combater a disseminação de rumores sobre políticas públicas relacionadas ao governo federal. Para começar os trabalhos atuais, a primeira checagem foi referente a um conteúdo que circula nas redes em apoio a Paulo Guedes, ministro da Economia. Nele, há a afirmação que bons índices econômicos do Chile se devem a uma "quase extinção dos socialistas" e à ajuda de Guedes. A afirmação, no entanto, é enganosa, segundo a verificação feita por oito veículos diferentes.

Assim como durante as eleições de 2018, o público poderá enviar mensagem ao Comprova (whatsapp: 11 97795-0022) com conteúdos duvidosos para serem checados. Segundo Daniel Bramatti, presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), "o objetivo não é simplesmente desmentir determinados boatos, mas mostrar as características que evidenciam sua falsidade e que são comuns a diversos conteúdos enganosos".

O fluxo de cada checagem é desenhado para aumentar a precisão e a confiabilidade: um dos jornalistas inicia a verificação, documentando as checagens que fez, além das ferramentas que usou e as evidências que coletou. Outros revisam o trabalho e confirmam ou oferecem sugestões sobre necessidade de mais informações. Para publicar uma reportagem, pelo menos três parceiros têm que confirmar as descobertas do primeiro verificador.

Fazem parte do Comprova os veículos Band TV, Correio do Povo, GaúchaZH, Metro Jornal e SBT. Também integram o projeto AFP (Agence France-Presse), Band.com.br, BandNews FM, BandNews TV, Canal Futura, Jornal Correio, Estadão, Exame, Folha de S. Paulo, Gazeta Online, Jornal do Commercio, Nova Escola, NSC Comunicação, O Povo, Poder360, Rádio Bandeirantes, revista Piauí e UOL. Até dezembro deste ano, os jornalistas desses veículos trabalharão em conjunto, cada qual em suas redações, mas em um mesmo ambiente virtual, sob a supervisão de editores do Comprova.

Lançado durante o 14º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, o projeto é coordenado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e pelo First Draft, entidade que pesquisa e combate a desinformação nas redes. Google News Initiative e Facebook Journalism Project patrocinam e dão apoio técnico ao projeto.

Comments