SXSW é um evento para refletir, declara editora do Coletiva.net

Gabriela Boesel esteve em Austin para fazer a cobertura em tempo real do maior festival de inovação do mundo

Gabriela Boesel no SXSW 2019

A quantidade de conteúdo e atividades é o que chama a atenção no South by Southwest - SXSW, e, para a editora Gabriela Boesel, do Coletiva.net, este é um evento não só para participar e ter boas ideias, mas para refletir. Além do que se aprende e absorve nas palestras, a organização em si do festival e o envolvimento de Austin, no Texas, com o festival, é um espetáculo a parte.

Segundo a jornalista, nos primeiros dias, é natural que o público se sinta perdido, sem saber muito para onde ir e o que fazer. E Gabriela acredita que esse sentimento permanece, independentemente de quantos dias se passa no evento - ou mesmo para quem participou em outros anos do SXSW. "Pelo que se percebe ao conversar com pessoas que já estiveram em outras edições, é que se aprende a se localizar pela cidade, mas as atividades mudam a cada ano, por isso nunca se sabe o que vai encontrar quando dobrar uma esquina", explicou.

Para ela, que participa pela primeira vez do evento, a sensação de Fomo (Fear of missing out - Medo de perder algo, em tradução livre) é constante. "A cada escolha que fazemos, deixamos de ver alguma coisa e, muitas vezes, isso é frustrante. No entanto, acho que vamos aprendendo a lidar com esse sentimento e entender que, infelizmente, é impossível estar em dois lugares ao mesmo tempo", afirmou a jornalista.

As palestras e os painéis, para ela, são um dos destaques do evento. Entre tantos temas interessantes e que merecem atenção, também é difícil escolher em qual atividade ir. "Conseguimos ver as atividades, com hora e local, no aplicativo do SXSW. Muitas vezes, devido a quantidade de opções, elegi uma palestra pelo título e pelos painelistas. Na maioria, me dei bem, mas sei de gente que se decepcionou com algumas escolhas", relatou.

O cansaço toma conta já nos primeiros dias, confessou a editora, porém, Gabriela entende que o corpo logo se acostuma a lidar com a exaustão. "Quando começa o dia e pensamos em tudo o que temos pela frente, bate uma fadiga antecipada, mas com o passar das horas nem dá tempo para pensar em parar. Quando a gente percebe, a tarde acabou e tu nem pensas em ir embora descansar no hotel. O que se quer é bater perna pelas ruas para ver o que encontra e, claro, descontrair", revela.

Participar da cobertura do SXSW, para Gabriela, foi um objetivo alcançado e um sonho realizado. "Estar aqui era um desejo antigo e poder fazer isso profissionalmente é ainda mais especial, pois, assim, consegui unir dois propósitos", falou, e acrescentou: "Admito que, antes de vir, não imaginava a dimensão do evento, muito menos tudo o que encontraria, embora tivesse me preparado e buscado me informar, além das várias dicas que recebi. Hoje, posso dizer que realizei esse desejo e agora só consigo pensar nas próximas oportunidades que virão", declarou.

O SXSW é um conjunto de festivais de cinema, música e tecnologia, que acontece anualmente desde 1987. A cobertura internacional de Coletiva.net é proporcionada pelo apoio das marcas Banrisul e Dinamize.

Comments