Amizade é como uma boa pauta diária

Por Emanuel Müller, para Coletiva.net - Especial Dia do Amigo

Não é muito fácil escrever sobre só um amigo. Tá bem, sei que a proposta do Coletiva.net era essa: um relato sobre um dos sentimentos mais expressivos da humanidade, relacionados ao cotidiano das redações, briefings, divulgações e assemelhados. Entretanto, não posso falar apenas de UM amigo. Tenho diversos criados nas redações. E tudo isso graças ao bem mais comum, que entrelaça nossa amizade: a paixão por escrever, por falar, por transmitir, por relatar. Por informar.

Sou um jornalista com 40 anos de vida e 22 anos de atividade profissional. Passei a vida inteira ouvindo que as amizades surgem no tempo de serviço militar (pelas dificuldades e vivências em comum) ou nos laços familiares. Pois é. Entretanto, para quem vive com o Jornalismo impregnado na alma, fazer amigos é uma arte. Mantê-los é um mérito, como se fosse um diploma soberano, que não cabe em nenhuma estante do planeta. E torná-los parte da nossa vida, olha... é um desafio diário, como elaborar uma pauta para entrevistar desde um presidente de associação comunitária até o Papa.

Tenho o orgulho de relatar, sem falsa modéstia, que tenho grandes amigos criados em redações, nos microfones, nas câmeras. Mas amigos meeeeeesmo. Não aqueles conhecidos de Facebook que olham para a tua foto, te acham legal, te adicionam - e depois te metralham por discordar deles. Escrevo sobre querer ter notícias, saber como estamos, como passamos os últimos dias. Ou aquela velha situação de jornalistas: a gente discute, discorda, promove uma guerra de alfinetadas para... tomar um café.

Não há nada mais fantástico que as amizades com pessoas da comunicação. Tem os rabugentos, os supersinceros, os crentes, os descrentes, os alucinados, os centrados, os pasmados, os criativos, os "gente-fina", os dispostos, os que viajam na maionese (característica que me enquadro perfeitamente). Mas a redação te proporciona amizades para a vida. A continuidade. O bom papo. O conteúdo, o parceiro para extravasar. Volta e meia aparecem os chatos e os perfeccionistas também - mas até deles a gente acaba gostando porque eles erram com tesão para acertar.

Não tem como falar em amizade com um profissional de Comunicação. A nossa amizade é a nossa profissão. Os colegas são o sinônimo do carinho, da dedicação e, embora seja meio piegas, do amor que temos pela profissão. E que devemos ter por aqueles que nos cercam todos os dias também. Nem todos serão nossos convidados para o almoço. Mas aqueles que o são, sabem o porquê disso. E é uma sensação maravilhosa contar com um RP, um publicitário ou um jornalista como amigo.

Emanuel Müller é jornalista.

Comments