Jornalismo não tem freio de mão

Por Grazi Araujo

Em meio a correria do dia-a-dia, precisamos ter cuidado para não nos perdermos no emaranhado de informações que chegam de todos os lados. Notícias, tuítes e postagens brotam nas mais variadas telas e exigem uma atenção quase robótica para não ficarmos por fora de nada. Sem falar das conversas de corredor, jornais, revistas, de grupos... Ufa! Qual é o limite de informações que podemos receber por dia? E há esse limite?

O planejamento puxa a linha do processo de organização que transpassa esse calhamaço de conteúdo. Anotar tudo num bloquinho, colocar lembretes e alarmes no celular ou pedir ajuda aos colegas pode funcionar, mas temos que ter a consciência de que tudo nessa vida tem que ter limites. Querer abraçar o mundo de dados que recebemos a todo instante pode fazer com que não absorvamos nenhum. É uma loucura de informações.

Tentamos acompanhar tudo, principalmente por meio das redes sociais. Porém, somos eternos insatisfeitos, é fato. O que vem por meio de Facebook, Twitter e Instagram não saciam o desejo por informação - e nem poderia. E é aí que vem o que realmente pode fazer diferença, a qualidade. Ter uma fonte confiável pode te poupar um belo tempo, sem falar no espaço da memória. Selecionar alguns sites, jornais e páginas de redes sociais irão te facilitar a vida na hora de correr atrás da máquina da comunicação. Isso também é fundamental para não cairmos na cruel armadilha das fakenews.

Mesmo com essa organização, as notícias não param de surgir. Muito menos os pedidos. "Me dá uma novidade?", "tem alguma coisa pra mim?", "me confirma tal coisa?". É aí que o assessor se vira nos 30. A resposta pra esses questionamentos fritam cabeças. Não deveríamos cair na loucura de responder tudo a todos, pensando apenas no imediatismo. Uma informação bem apurada faz toda a diferença, o que qualifica a resposta. Não é uma reclamação, jamais. Mas tem dias que dá uma pirada legal.

Viver para o trabalho, correndo atrás de informações, é uma rotina diária de jornalistas. Porém, organizar a casa para que o conteúdo saia sempre redondo e consistente é indispensável num mundo que semeia informação. Nessas horas, foque na qualidade, não na quantidade. Respira e não pira. É quase um texto de autoajuda para que essa que vos escreve aprenda a pisar - lentamente - no freio.

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM, e com MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada, pela Cândido Mendes. Atualmente é chefe de Comunicação Social na Casa Civil do Rio Grande do Sul. Também responde pela Comunicação Social da Sociedade de Cardiologia do RS (Socergs) e da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV). Tem o site www.graziaraujo.com.

Comments