Mais compromisso com o futuro

Por Grazielle Araujo

Trabalhar com política é apaixonante e desafiador. Quando trabalhamos com bons políticos, fica ainda melhor. Mas alguns colegas da imprensa lidam com essa categoria como se todos fossem "farinha do mesmo saco". Isso acaba levando ao público leitor/ouvinte/telespectador, uma sensação de que ninguém presta, de que todos são iguais e que o diálogo é feito a base de toma lá dá cá. A política está mudando, com o comprometimento, a vontade de fazer dar certo, de deixar legados e de cumprir missões, está cada vez mais real.

Cheguei agora neste meio e penso que - para isso ser uma percepção que perdure -, muita coisa já deve ter acontecido no passado (nem tão distante) e sido realmente verdade. Porém, bons e experientes repórteres deveriam ter o compromisso com a verdade, checar com as assessorias as informações antes de veicular falsas afirmações. Errata não tem o mesmo alcance, não adianta. O que está escrito/dito/gravado vai ficar ali registrado para eternidade. Tem bastidores? Sim, tem! A assessoria acompanha todos eles? Não, na maioria das vezes, não. Só que tem verdade, necessidades, coisas a fazer e trabalho a ser concretizado. Eu não escrevo defendendo nenhuma bandeira política, mas escrevo defendendo o compromisso com a verdade das informações.

- "Ah, mas a minha fonte é quente!". Gente, se vocês soubessem o quanto as pessoas inventam coisa para gerar notícia! É do jogo, a gente sabe. Cai quem quer polemizar, quem quer ocupar espaço de protagonismo em algo que possa ser de tal jeito e quem não confia em pessoas que querem mudar as coisas. É um universo complicado de entender para quem vive isso, imagina para quem só fica sabendo de política pela mídia?

A onda hoje é polemizar, olhar o que não está dando certo, especular o que pode dar errado. É ter - entre dez índices - nove positivos e um nem tanto. Os nove serão quase o rodapé e a manchete será a minoria. Isso faz com que as pessoas se tornem menos acreditadas que nosso país/estado/município têm solução. Nós, da comunicação, temos o poder de motivar as pessoas - seja para qual for o lado. Temos que ter compromisso com o futuro, assim como nossos gestores. 

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, cursa MBA em Comunicação Eleitoral e Marketing Político, na Estácio de Sá, é pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM, e com MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada, pela Cândido Mendes. Atualmente é chefe de Comunicação Social na Casa Civil do Rio Grande do Sul. Também responde pela Comunicação Social da Sociedade de Cardiologia do RS (Socergs) e da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV). Tem o site www.graziaraujo.com

Comments